Imovel e Dicas

Imovel e Dicas
Home - Imovel e Dicas

O que fazer se o Crédito Imobiliário for Negado?

credito imobiliario


O Sonho do Imóvel próprio nunca esteve tão próximo! As condições financeiras estão de acordo com o valor a ser pago no financiamento, a casa ou apartamento são perfeitos! 



No caso de aquisições na planta, o financiamento acontece em duas etapas, onde na primeira se paga diretamente à construtora ou incorporadora e a outra após as chaves ao agente financeiro, como bancos geralmente. 

Porém, até a entrega das chaves tudo pode acontecer, sua renda diminuir, problemas financeiros acontecerem. E o sonho que parecia tão certo, desmorona com o crédito negado.

O que Fazer? 

O presidente do Instituto IBEI, Paulo Viana, comentou sobre o assunto em seu blog, e explica que neste caso, a solução pode ser obter empréstimo em valor menor e complementar o pagamento com recursos obtidos de outra fonte, tais como: venda de automóvel, venda de outro imóvel, penhora de jóias, empréstimo pessoal entre outros. 

"Pode-se negociar com o construtor diretamente a diferença, ou ainda, incluir outro parente como membro do grupo familiar para completar a renda necessária para obter o financiamento". 

Mas fique atento, pois algumas construtoras fazem parcerias com instituições financeiras, ou com agentes das mesmas, e recebem comissões pela captação do financiamento.

credito imobiliario


Não é correto cobrar algo do cliente se este opta por outra instituição, muitas vezes com condições melhores de juros e possibilidade de aprovação do financiamento. 




"Entendo que o consumidor deve ser livre para contratar com a financeira que melhor atenda seu perfil e interesses e que a imobiliária não pode cobrar outros valores além dos estabelecidos contratualmente, como preço, emolumentos cartoriais e impostos”.

Quando você opta por um financiamento, não esqueça, quanto maior o prazo do contrato, mais juros pagará pelo imóvel, se a taxa for de 10% ao ano, por exemplo, a cada 10 anos de financiamento, você pagara o valor de mercado de um imóvel só de juros, além de correção monetária e o valor do próprio financiamento. 

Sabendo disso, procure comprar um imóvel relacionado a sua necessidade atual, dê o máximo de entrada possível, e financie pelo menor prazo dentro de sua capacidade de pagamento, além de minimizar riscos, assim terá também mais chances de aprovação do credito.


Serviços:





Edição e Publicação | Equipe | Imovel e Dicas

2 comentários:

  1. Estou negociando a compra de um apto que a construtora já entregou,porém o proprietário não conseguiu realizar o financiamento.

    A minha pergunta é: existe todo um processo que é feito até chegar a efetivar a assinatura do contrato de financimento imobiliario com a CEF, que no caso pode demorar até 60 dias.Nesse periodo de "espera" da analise e confecção do contrato, é correto a construtora atualizar o saldo devedor com correção do IGPM mais multa de 1% ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Dia! Sra.Paula,

      Agradecemos sua Mensagem,

      A partir da entrega das chaves existem 02 possibilidades financiar o saldo devedor direto com a construtora ou agente financeiro, ou seja, credito imobiliário.

      Se após a entrega das chaves existam parcelas em atraso, a construtora pode cobrar multa e reajustar valores pelo índice definido no contrato.

      É preciso muito cuidado e planejamento! Não há exatamente uma carência ao pagamento das parcelas após a entrega das chaves (Imóveis com Habite-se e 100% e Habitáveis), se precisar obter um financiamento imobiliário.

      Sugerimos que tente negociar com a construtora a isenção de multa por atraso, em alguns casos é possível obter o cancelamento desta.

      Veja também, o que diz o Código de Defesa do Consumidor:

      Quando ocorre a expedição do Habite-se, o consumidor deve, imediatamente, migrar sua dívida com a construtora para um banco, que concederá o financiamento bancário, apenas com a cobrança dos juros. Acontece que, entre a expedição do Habite-se e a migração da dívida, há um hiato que acaba onerando ainda mais o consumidor: a construtora passa a cobrar correção monetária pelo IGP-M e uma taxa de juros.

      Esse hiato ocorre em função da burocracia. Para migrar a dívida para um banco, o consumidor precisa da matrícula individualizada do imóvel, o que a construtora leva pelo menos 45 dias para obter após a expedição do Habite-se. Às vezes, porém, as construtoras têm dificuldade de obter suas certidões negativas, essenciais à individualização da matrícula, levando ainda mais tempo.

      Outro problema é que a expedição do Habite-se nem sempre significa que o imóvel está habitável. Ele está tecnicamente pronto, mas ainda podem estar faltando azulejos, o piso e outros acabamentos essenciais à moradia. Ou seja, além de arcar com os custos adicionais após a expedição do Habite-se – juros e correção pelo IGP-M – o consumidor não pode sequer se mudar para seu imóvel, e vai continuar a pagar aluguel.

      Solução: O consumidor não deve ser obrigado a pagar nem correção, nem juros, nesse caso, uma vez que o atraso na migração da dívida para o banco não é culpa dele, mas sim da burocracia ou da própria construtora. Cabe aqui novamente liminar para suspender essas cobranças extras após a expedição do Habite-se, congelando o montante devido até que dívida possa ser migrada para o banco.

      Atenciosamente.

      Equipe de Atendimento do Imovel e Dicas.

      Imovel e Dicas.
      www.imoveledicas.com.br

      Excluir

Deixe seu Nome e Email ao final da Mensagem, caso deseje alguma informação específica.

Atenciosamente.

Imóvel e Dicas.
www.imoveledicas.com